A nova cara da zona rural de Valinhos

Imprimir   |   Enviar por e-mail

Valinhos é conhecida como a terra do figo e goiaba, mas o cenário na zona rural da cidade está começando a mudar. Produtores rurais estão usando espaços ociosos para diversificar a produção e começam a plantar culturas como alface, quiabo, tomate-cereja e frutas como banana, abacate, mamão e até seriguela.

A medida, que tem como objetivo aproveitar 100% da terra, foi abraçada pelo agricultor Márcio da Silva Teixeira. Além dos tradicionais goiaba e figo, ele começou a plantar tomate cereja e verduras em espaços antes não aproveitados. “Estou numa fase que estou gostando do tomate-cereja. Mas não vou ficar apenas nisso. Ao lado dos pés de goiaba, estou fazendo hortas”, disse Márcio, que cuida sozinho da terra e da produção.

José Eduardo Ribeiro é outro produtor que está trabalhando duro para plantar em todos os espaços de sua terra. Quando uma cultura está na fase final, ele se organiza para a colheita de outra espécie. “Agora, acabamos de colher as abobrinhas. Vamos dar início à colheita de vagem e já estou preparando a terra para receber uma plantação de quiabo”, explicou.

A mudança vem sendo apoiada pela Prefeitura, que, por meio do Departamento de Apoio à Agricultura, incentiva essa reestruturação e a variedade da produção. “O importante é ter várias culturas, para que o agricultor não fique à mercê de apenas uma espécie”, explicou Luciana Maria Liboni Passos, diretora do Departamento de Apoio à Agricultura, ligado à Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

Agricultores também apostam em tecnologia. O jovem Leandro Sequetto, de 32 anos, aderiu à tendência. Ele convenceu a família sobre a importância de investir no sítio, que fica na região do Macuco. “Minha família entendeu que pode sobreviver da terra. E agora eles estão empenhados para que o nosso trabalho cresça”, explica. Ele estava trabalhando em uma indústria quando seu pai teve um problema de saúde. “Deixei a empresa para ajudar. Agora, o convenci a inovar no sítio. Fiz e estou fazendo cursos para levar a tecnologia para a terra”.

A Prefeitura criou uma feira do agricultor (Quarta é Feira) para dar suporte e facilitar a venda dos produtos. Toda quarta-feira eles podem comercializar diretamente, sem intermediários. A primeira edição da feira foi em 20 de setembro e ela acontece toda semana entre 18h e 22h. O prefeito Orestes Previtale (PMDB) diz que todos ganham com o novo cenário. “As famílias estão sobrevivendo com o seu trabalho”. O secretário de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Turismo, Wilson Borges, convoca a população a prestigiar os produtores. O Quarta É Feira acontece toda quarta-feira, no Centro de Artes, Cultura e Comércio (CACC).  O endereço é: Avenida dos Esportes, s/n, Centro. Horário das 18h às 22h.



http://www.agemcamp.sp.gov.br/wp-content/plugins/wp-accessibility/toolbar/css/a11y-contrast.css