Bandeirantes lidera ranking das melhores estradas

Imprimir   |   Enviar por e-mail

No ranking das cinco melhores ligações rodoviárias do País, quatro rodovias passam pela Região Metropolitana de Campinas (RMC): Bandeirantes (SP-348), na liderança pela sexta vez consecutiva, Governador Adhemar Pereira de Barros (SP-340) e D. Pedro I (SP-065), ambas na segunda colocação, e Anhanguera (SP-330), que caiu para a quarta posição após estar na terceira em 2016. É o que constatou a 21ª edição da pesquisa da Confederação Nacional do Transporte (CNT) de Rodovias, divulgada terça-feira e que avaliou 105,8 mil km de vias pavimentadas federais e estaduais — cerca de 2,5 mil km a mais do que em 2016.

Dentre as 20 melhores ligações, apenas duas não estão no Estado de São Paulo. Aliás, conforme a pesquisa, 61,8% dos trechos avaliados tiveram o estado geral considerado regular, ruim ou péssimo, ante 58,2% no ano passado. Segundo a CNT, a queda na qualidade se deu principalmente pela sinalização, cuja avaliação ótima e boa caiu de 48,3% da extensão pesquisada em 2016 para 40,8%, e a pavimentação, que foi considerada de qualidade ruim, regular ou péssima em metade das ligações rodoviárias, enquanto no ano passado abrangia 48,3%.

“A queda na qualidade das rodovias brasileiras tem relação direta com um histórico de baixos investimentos em infraestrutura rodoviária e com a crise econômica dos últimos anos”, afirma o presidente da CNT, Clésio Andrade. De acordo com Andrade, em 2011, os investimentos públicos federais foram de R$ 11,2 bilhões (US$ 3,4 bilhões) e no ano passado foram R$ 8,61 bilhões (US$ 2,6 bilhões), mesmo nível registrado em 2008, sendo que neste ano, até junho, foram investidos apenas R$ 3,01 bilhões (US$ 912,1 milhões).

Conforme o Plano CNT de Transporte e Logística, seriam necessários R$ 293,8 bilhões (US$ 89 bilhões) para que fosse alcançada a infraestrutura adequada, sendo R$ 51,5 bilhões (US$ 15,6 bilhões) somente para manutenção, restauração e reconstrução de quase 83 mil km, onde há desgastes, trincas, remendos, afundamentos, ondulações, buracos ou pavimentos totalmente destruídos.

A Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) ressaltou que é o 14º ano consecutivo que as melhores rodovias do País são paulistas, sendo que todas as 16 classificadas como ótimas estão sob concessão. Da extensão avaliada no Estado, 77,8% foi classificada como ótima ou boa, enquanto no País o índice foi de 38,2%. “Mesmo com rodovias com ótimas condições, a agência atua de forma séria e austera na fiscalização e aplica as multas quando os prazos não são atendidos conforme o estabelecido nos contratos”, lembrou Giovanni Pengue Filho, diretor-geral da Artesp.



http://www.agemcamp.sp.gov.br/wp-content/plugins/wp-accessibility/toolbar/css/a11y-contrast.css