Conhecer para cuidar, uma ação colaborativa

Imprimir   |   Enviar por e-mail

Projeto da Universidade Mackenzie Campinas, lançado no mês passado, o Conhecer para Cuidar — Estratégias Colaborativas de Manejo e Governança do Meio Ambiente Urbano da Região Metropolitana de Campinas reúne uma série de ações envolvendo o corpo docente e os alunos dos cursos de administração, engenharia e direito, com um único objetivo: propor melhorias e estratégias em prol do meio ambiente, com foco na Região Metropolitana de Campinas.

Sob a coordenação da professora Rosani Novaes, o projeto é parte do Centro de Ciências e Tecnologia, e tem entre seus principais pilares a conscientização da importância da reciclagem do lixo doméstico, com um convite em especial: a destinação correta das chamadas caixinhas “longa-vida”, que geralmente são vendidas com leites e sucos, por exemplo. “Até pouco tempo, a reciclagem dessas embalagens era difícil. Hoje, porém, já temos tecnologia para separar o plástico, do alumínio e o papelão. Com este último, chamado de cartonado, é possível fazer uma série de coisas”, explica a professora.

Por este motivo, o projeto ganhou um subtítulo: “Por uma vida melhor e mais longa”. Em 2018, a Tetra Pak, empresa que desenvolve essas embalagens, divulgou ter reciclado quase 73 mil toneladas. O número, entretanto, representa apenas 30% do total. “Por isso dizemos que precisamos conhecer para cuidar. Eu sou muito otimista com relação ao futuro, vejo que temos muitas pesquisas e muitos projetos em desenvolvimentos que mostram o quanto a sustentabilidade é importante e o quanto podemos fazer, porém, o primeiro passo começa com cada um de nós”, alerta a professora.

Para ela, os brasileiros estão presos a uma cultura de “abundância ambiental”. “Achamos que nunca irá acabar. Não vai acabar a água, nem os recursos naturais. Também achamos que somos eternos, que não envelhecemos. Porém, não é bem assim. Precisamos cuidar e, como diz o nome, isso exige dedicação. Temos que pensar que a RMC produz em média 178 toneladas de lixo por dia. Para onde isso vai?”.

 

Lançamento do programa colaborativo no Mackenzie de Campinas

A conscientização é, desta forma, um dos pilares de trabalho da Universidade. Começando pelos alunos e pelo corpo docente. “Todos aqui temos a missão de levar conhecimento à comunidade sobre os meios corretos da destinação do lixo”, diz a professora, que desmistifica qualquer argumento que tente “defender” a dificuldade de fazer o processo em casa. “Claro que ninguém terá em casa caixinhas de cores para destinação de cada item. Nossa recomendação é dividir o lixo em somente duas coletas: orgânicos e não orgânicos. O primeiro são os alimentos, aquilo que dá cheiro. O segundo grupo é todo material que os bichinhos não comem”, completa.

 

Mais projetos

A coleta seletiva e o uso do cartonado é um dos pilares do projeto Conhecer para Cuidar. Outro é o chamado “Arvorecer”, que consiste no mapeamento das árvores de Campinas e cidades da região. Cada aluno — são 360 ao todo — recebeu a tarefa de estudar o quarteirão da rua em que mora, apontando quais espécies de árvores possui. “As árvores de rua nem sempre cumprem seus objetivos, de tornar melhores seus ambientes, temperaturas mais amenas e toda qualidade de vida que vem dela e isso por uma série de motivos, principalmente o plantio inadequado.

As Prefeituras, para fazer bonito, plantam mudas grandes, como os Ficus, aí elas crescem, atrapalham na fiação e o cidadão não quer nunca mais ter uma árvore na frente da sua casa. Desta forma, nosso estudo servirá para identificação das espécies, para apontar se estão corretas onde estão e também para o remanejamento, se preciso”, explica Rosani. Outro projeto dentro do Cuidar para Conhecer em desenvolvimento neste ano é o chamado “Mack Guarda Chuva”, com foco nos alunos da Engenharia. Consiste em um reservatório de captação da água da chuva, posteriormente reutilizada para lavagem dos pátios e para estudo. “Os alunos podem estudar a construção de casas com seus próprios reservatórios. E também a composição desta água e de seus impactos”.

 

Olhar para a comunidade é fundamental

O Conhecer para Cuidar é uma continuidade do trabalho que vem sendo desenvolvido no Mackenzie desde sua instalação Campinas, há uma década. Além do ensino, através da graduação, e das pesquisas, é fundamental, segundo a professora Rosani Novaes, este olhar da Universidade para a Comunidade onde está instalada. Todos os estudos desenvolvidos no projeto serão apresentados para os moradores de Campinas e região em setembro. A ideia é despertar nas pessoas a consciência de que todos são responsáveis por cuidar do Planeta.

As ações desenvolvidas no projeto são decorrentes dos Objetivos para Desenvolvimento Sustentável, de acordo com orientações estabelecidas pela Organização das Nações Unidas (ONU), que adota metas para serem atingidas até 2030. Elas foram definidas em 2015, após uma reunião envolvendo mais de 170 países.

No lançamento do projeto Conhecer para Cuidar, em maio, os alunos apresentaram 10 painéis trazendo para a realidade da RMC as propostas das ODS-30 da ONU. Em um primeiro momento, o projeto foi identificar quais as propostas da ONU poderiam ser aplicadas aqui, com apoio da Universidade. O segundo passo, após identificar os problemas da região, é o de apontar solução.

Em um terceiro momento, a ideia é apresentar para alunos do Ensino Médio o que foi discutido ao longo do ano dentro da Universidade, cumprindo o papel de multiplicar o conhecimento. Neste trabalho, além de Rosani, outros três professores estão envolvidos: Luciano Assis, João Gabriel e Benedita Delbono. Cada um deles irá orientar um grupo de 10 alunos, indicados para liderarem as ações ao longo do ano.



http://www.agemcamp.sp.gov.br/wp-content/plugins/wp-accessibility/toolbar/css/a11y-contrast.css