Observatório vai monitorar a RMC

Imprimir   |   Enviar por e-mail

A Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUCCampinas) apresentou ontem, no Auditório Dom Gilberto Pereira Lopes, no Campus I, o Observatório PUCCampinas, um projeto de extensão universitária que visa monitorar os indicadores socioeconômicos da Região Metropolitana de Campinas (RMC), com o objetivo de definir parâmetros, selecionar, recolher, processar, analisar e sistematizar informações, com a intenção de divulgar os dados para os mais diversos setores da sociedade e para diferentes finalidades.

Ao todo, quatro professores doutores da Faculdade de Ciências Econômicas da Universidade, ficarão responsáveis por atuar na captação, na análise e no gerenciamento dos dados e das formas de divulgar as informações. O projeto inclui, também, a participação de alunos extensionistas, orientados por esses professores, e parcerias com entidades diversas, com destaque para a Agência Metropolitana de Campinas (Agemcamp).

A coleta e a análise das informações serão salvas em boletins sistemáticos que permitirão a construção de um extenso banco de dados, capaz de traçar o perfil socioeconômico da Região. Esses estudos ainda serão responsáveis por mapear a realidade da sociedade em quatro eixos: atividade econômica internacional; emprego e renda; sustentabilidade e os desafios do milênio; e indicadores sociais.

Para o arcebispo dom Airton José dos Santos, o lançamento do observatório era um sonho antigo da Universidade. “A gente nunca conhece a realidade, nós sempre conhecemos parte da realidade, e, agora, com esse observatório, nós poderemos apresentar novos elementos capazes de ajudar os pesquisadores, os profissionais, as pessoas responsáveis e as agências a oferecer matérias suficientes para melhorar os eventuais problemas sociais da Região”, comentou.

Para conduzir esse trabalho, os agentes envolvidos vão contar com o potencial de conhecimento próprio do meio universitário, bem como recursos físicos e humanos — todo o processo será orientado cientificamente, oferecendo, como resultado, imagens do objeto estudado, no caso, dos aspectos do perfil socioeconômico da RMC.

“A nossa intenção é reunir uma série de indicadores que atualmente são produzidos em âmbito nacional e estadual e, a partir disso, fazer uma avaliação do atual cenário da RMC. Ele será um instrumento bastante importante de análise de ações que ainda precisam ser melhoradas na região”, explicou o reitor da PUC-Campinas, Germano Rigacci Júnior.

 

Síntese mostra potencialidades e os desafios

Ontem, na cerimônia de apresentação do projeto, a Universidade distribuiu uma edição síntese do boletim informativo do Observatório, com os resultados dos primeiros estudos do Centro de Economia e Administração (CEA), que abriga a Faculdade de Ciências Econômicas. A síntese buscou fornecer um panorama da realidade socioeconômica em três níveis, sendo o primeiro de situar a região no Estado de São Paulo; o segundo de especificar as características mais distintivas; e o terceiro de mostrar a heterogeneidade dos municípios que compõem a RMC, enumerando características que marcam sua identidade, mostrando potencialidades e desafios.



http://www.agemcamp.sp.gov.br/wp-content/plugins/wp-accessibility/toolbar/css/a11y-contrast.css