Região registra aumento de empregos

Imprimir   |   Enviar por e-mail

A geração de empregos na Região Administrativa de Campinas, que reúne 90 municípios, registra alta este ano. Apesar do baixo desempenho da economia, o resultado aponta que houve um aumento de 19.763 novos postos de trabalho no mês de outubro na região em comparação com os empregos gerados em outubro de 2018. Os dados são da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade), com base no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged).
No acumulado deste ano, de janeiro a outubro, o saldo no Estado de São Paulo é de 263.747 empregos, o que corresponde a 31,3% dos postos de trabalho gerados no País (841.589 empregos). Desse total, foram gerados 40.869 empregos formais na região administrativa de Campinas. Esse índice só é menor do que o número de postos de trabalho criados no município de São Paulo, que foi de 88.440. Portanto, a região de Campinas apresenta resultado superior ao da Região Metropolitana de São Paulo, onde foram geradas 35.551 vagas nesses 10 meses do ano. Os reflexos positivos foram sentidos, principalmente, nos setores do comércio, nos serviços e na construção civil.
A expectativa é que os próximos meses tragam um cenário um pouco melhor com relação aos períodos anteriores. De acordo com Alexandre Loloian, economista da Seade, os números não são espetaculares, mas representam um avanço.
“Em 2013, nesse mesmo período, foram quase 63 mil novos postos na região de Campinas. De lá para cá, foi tudo abaixo desse valor. É um resultado ainda baixo, pequeno, modesto para a região, mas demonstra indícios de recuperação, que todo mundo sabe, tem sido bem lenta. Mas a notícia é boa”, afirma. O economista avalia que os dados devem seguir melhorando, mesmo que a passos lentos.
“Tudo indica que daqui para a frente a situação vai melhorar. Tivemos alguns fatores como redução de juros, liberação do FGTS, que aparentemente estão turbinando o mercado interno menos do que o esperado, mas já percebemos que as pessoas voltaram a consumir. Tudo leva a crer que o último trimestre vai confirmar a retomada”, conclui Alexandre Loloian.


http://www.agemcamp.sp.gov.br/wp-content/plugins/wp-accessibility/toolbar/css/a11y-contrast.css