Trem Intercidades requer nova linha de passageiros

Imprimir   |   Enviar por e-mail

O chamado Trem Intercidades – projeto para ligar as regiões de Campinas, Vale do Paraíba, Baixada Santista, Sorocaba e São Paulo, através da malha ferroviária paulista – precisará de uma nova linha exclusiva para passageiros para chegar até Americana. A análise é dos diretores da Rumo Logística Operadora Multimodal S.A. e da MRS Logística S.A., que confirmaram ontem em Audiência Pública em Brasília (DF) o interesse em colaborar com o projeto e com uma nova concessão para o compartilhamento dos trilhos.

Dos 137 quilômetros de extensão do trecho da linha São Paulo-Campinas-Americana do Trem Intercidades, 83 km estão concedidos à Rumo Logística, e 54 km à MRS Logística. O trecho Jundiaí-Campinas poderá ser compartilhado em duas linhas já existentes, mas, para chegar à Americana, será necessária a construção de uma linha exclusiva para passageiros no trecho, segundo o diretor Regulatório e Institucional da Rumo, Guilherme Penin. “De Campinas adiante precisamos de nova infraestrutura”, declarou.

A construção do novo trecho poderá ficar a cargo do Governo do Estado ou da empresa operadora do transporte de passageiros, de acordo com a Rumo. Penin e o diretor de Relações Institucionais da MRS Logística S.A., Gustavo Bambini, participaram da Audiência Pública realizada ontem pela Comissão de Viação e Transportes da Câmara dos Deputados. A audiência foi requerida pelo deputado federal reeleito Vanderlei Macris, do PSDB de Americana. Bambini lembrou que, após a baixa utilização dos trens, “a ferrovia foi abraçada pelas cidades”, mas um projeto de engenharia, com a participação da MRS, pode sanar o problema. “Somos parte da solução desse conflito”, declarou.

Macris comemorou o resultado da Audiência Pública. “Há uma convergência muito grande sendo consolidada na direção de que o Trem Intercidades seja uma realidade. O governador João Doria já me disse claramente que é uma prioridade. O secretário (Alexandre) Baldy, dos Transportes Metropolitanos, que irá assumir a partir de 1º de janeiro, também. Portanto há uma convergência grande e que nós aqui, como parlamentares do Congresso Nacional, podemos juntar as forças para que essa realidade toda seja o mais breve possível implementada em nosso Estado”, considerou.



http://www.agemcamp.sp.gov.br/wp-content/plugins/wp-accessibility/toolbar/css/a11y-contrast.css