PCJ terá US$ 21,4 milhões este ano

Imprimir   |   Enviar por e-mail

As bacias dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ) terão R$ 67,5 milhões (US$ 21,4 milhões) este ano para financiar projetos de tratamento de esgoto, controle de perdas de água, monitoramento e proteção e conservação dos mananciais. O valor, que virá de recursos da cobrança pelo uso da água de rios de domínio federal e estadual e do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro), financiará 32 projetos selecionados em 22 cidades na região de Campinas que serão votados amanhã pelos Comitês das Bacias PCJ, em Holambra.

O volume de recursos disponibilizados este ano é 7,4% superior ao do ano passado. Esse crescimento, segundo o diretor-presidente da Agência de Bacias PCJ, Sérgio Razera, deve-se a mudanças no Fehidro, que colocou no orçamento de 2017 mais 60% dos recursos do exercício de 2018 e mesmo percentual de 2019. A maior parte dos recursos financiará projetos de redução de perdas de água na rede, disse Razera. Reduzir as perdas e tratar o esgoto nas bacias PCJ, segundo ele, estão entre as prioridades dos Comitês.

A cobrança pelo uso da água foi implementada em 2005 e é recolhida de serviços de saneamento, de indústrias e de proprietários rurais que fazem uso da água (captação, consumo e lançamento de esgoto) dos rios Atibaia, Cachoeira, Camanducaia, Jaguari e Piracicaba, de domínio da União, e também dos usuários dos rios estaduais.

Com esses investimentos, os Comitês PCJ acreditam que será possível chegar com 62% dos rios com a mesma qualidade que tinham em 1977, quando o governo do Estado enquadrou os cursos de água em classes de 1 a 4. Hoje apenas 39% dos rios tem a qualidade que deveriam possuir para atender as necessidades dos municípios. O Plano de Bacias está agora passando por revisão. Os recursos são utilizados para financiar empreendimentos que promovam a recuperação dos recursos hídricos, como tratamento de esgoto, reflorestamento ciliar e educação ambiental.

 

Município teve dois projetos selecionados

Campinas teve dois projetos selecionados para receber financiamento dos Comitês PCJ, a fundo perdido. Serão R$ 4,6 milhões (US$ 1,5 milhão) para a substituição de rede de água no Bonfim e no Jardim Madalena, que custarão R$ 10,4 milhões (US$ 3,3 milhões) – a diferença será bancada por contrapartida da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento (Sanasa). Entre as cidades da Região Metropolitana de Campinas (RMC) com projetos selecionados estão Artur Nogueira, Valinhos, Vinhedo, Pedreira e Santa Bárbara d’Oeste. 



http://www.agemcamp.sp.gov.br/wp-content/plugins/wp-accessibility/toolbar/css/a11y-contrast.css