Pirelli trará unidade do RS para Campinas

Imprimir   |   Enviar por e-mail

A Pirelli anunciou a transferência da produção de pneus de motocicletas da unidade de Gravataí, no Rio Grande do Sul, para a fábrica de Campinas. Com isso, a unidade do Jardim Satélite Iris se tornará um polo industrial da empresa para abastecer o Brasil e mercados latino-americanos, produzindo pneus para carros, motocicletas e motorsports, com foco em produtos de maior valor agregado. A empresa anunciou também um plano de investimentos de 120 milhões de euros (cerca de R$ 535 milhões / US$ 133,8 milhões) até 2021 para a modernização e reconversão e para o melhoramento contínuo do mix e da qualidade das fábricas de Campinas e Feira de Santana (Bahia).

A unidade de Campinas, conforme antecipou o Correio no início de abril, vai receber investimentos de R$ 400 milhões (US$ 100 milhões) para ampliação e instalação da sede administrativa para a América Latina. A construção do novo espaço está em fase de análise na Prefeitura, e a Secretaria do Verde já emitiu o parecer técnico ambiental (PTA) e o exame técnico municipal (ETM) necessários ao licenciamento ambiental da obra, que é de competência da Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb).

A ampliação ocorrerá em área reabilitada. Ela consta do relatório de áreas contaminadas da Cetesb como tendo realizado todas as etapas de gerenciamento de remediação da contaminação do solo. O processo, segundo a Pirelli, estará completo até a metade de 2021 e é parte de uma reorganização da estrutura produtiva que permitirá acelerar o foco nos produtos High Value (de alto valor agregado) e melhorar a competitividade das fábricas no País.

A mudança permitirá levar a produção para mais perto das montadoras de veículos. Serão contratadas cerca de 300 pessoas até 2022. A fábrica de Campinas atualmente se concentra exclusivamente na produção de pneus para carros, com uma capacidade de mais de 10 milhões de unidades por ano. Construída na década de 50, emprega mais de 2,1 mil pessoas. Há quatro anos, um grande investimento de cerca de R$ 500 milhões (US$ 125 milhões) foi realizado na unidade, para sua modernização e ampliação. Também foram substituídas máquinas e aumentada a capacidade produtiva dos chamados “pneus verdes”, cuja tecnologia reduz a resistência da borracha ao rolamento, permitindo economia no consumo de combustível. A Pirelli informou ainda que pretende negociar com o sindicato dos trabalhadores de Gravataí durante o período de transferência. A fábrica do Rio Grande do Sul emprega cerca de 900 pessoas.



http://www.agemcamp.sp.gov.br/wp-content/plugins/wp-accessibility/toolbar/css/a11y-contrast.css