Reviva o Rio Atibaia comemora 22 anos

Imprimir   |   Enviar por e-mail

Domingo é dia de mais uma edição do Movimento Reviva o Rio Atibaia. Ao completar 22 anos de existência, a discussão trazida pelo projeto não poderia ser mais atual. Com o tema “Sustentabilidade na Prática”, a programação de 2019 convida os visitantes a adotarem ações sustentáveis que, unindo esforços, farão toda a diferença no local onde habitamos ou mesmo para o nosso planeta, hoje com graves ameaças, entre elas os efeitos do aquecimento global.
“Não conseguimos entender como a questão ambiental ainda segue relegada a um plano secundário pelas autoridades em todos os níveis. Estamos diante de uma série de catástrofes causadas pela ação do homem e todos nós precisamos fazer a nossa parte”, diz o engenheiro agrônomo José Carlos Perdigão, fundador e atual diretor presidente da Jaguatibaia — Associação de Proteção Ambiental, um dos responsáveis pela regulamentação da Área de Proteção Ambiental de Campinas (APA), e organização do Movimento.
No evento do próximo domingo, os visitantes poderão participar de uma série de oficinas, todas voltadas para práticas sustentáveis, trabalhando conceitos como redução do consumo de água, uso de energias alternativas e até mesmo da valorização da Agroecologia, com a produção de alimentos livres de agrotóxicos. Haverá ainda a distribuição de aproximadamente 3 mil mudas de espécies nativas, que serão plantadas pelos visitantes, entre outras atividades.
“São espécies frutíferas da Mata Atlântica, de porte pequeno a médio, para que seja facilitado o plantio também em áreas pequenas. Além disso, teremos uma oficina de customização de vasos e todos ganharão um folder que ensina a plantar, e com informações sobre a nossa APA”, antecipa Perdigão.
Para o engenheiro, trabalhar as ações individuais é um passo importante. Não à toa, desde sua fundação, a Jaguatibaia atua em parcerias com escolas e entidades da região para espalhar conhecimento. Neste ano, alunos de quatro colégios estarão conversando com os visitantes sobre temas sustentáveis debatidos em aula. Eles falarão, por exemplo, sobre compostagem caseira. Além disso, ajudarão a limpar a praça após o evento.
“Esse envolvimento da comunidade é muito importante”, conta o engenheiro. Porém, segundo ele, não se pode focar apenas na individualidade, uma vez que para mudarmos o atual cenário é preciso que a questão seja discutida também em uma esfera “macro’. “Precisamos falar de desmatamento, de queimadas, de barris de óleo no Litoral brasileiro e pensar em alternativas para reverter essa situação.”
Inspiração
A Praça Beira Rio recebe diversas atrações e eventos no domingo
Neste sentido, a própria trajetória do Movimento Reviva o Rio Atibaia é inspiração. A história teve início em 1995 quando um consórcio intermunicipal entre Campinas e Pedreira apresentou projeto para a construção de uma estrada que cortaria a região que viria a ser a Área de Proteção Ambiental (APA) de Campinas — que abrange 22 mil hectares em uma região situada na fonteira entre o Planalto Paulista e a fralda da Serra da Mantiqueira — garantindo que não haveria danos ambientais significativos.
Moradores da região, entretanto, formaram de modo espontâneo o então denominado Movimento Pela Qualidade de Vida de Campinas, preparando para a Secretaria Estadual do Meio Ambiente documentos técnicos revelando os reais impactos da obra, uma vez que a área apresenta enorme potencial de abastecimento hídrico e de conservação da biodiversidade para a região, pois abriga cerca de 80% do que restou das matas nativas no município de Campinas.
O trabalho, tamanho o reconhecimento, culminou com a fundação da Jaguatibaia, em 1996, e gerou a primeira edição com parceiros, como a Associação de Remo de Sousas, do movimento Reviva o Rio Atibaia, em 1997. Desde então, as ações têm sido para que obras de grande impacto não venham a se instalar nesta região, com importante atuação neste sentido do Conselho Gestor da APA — Congeapa. E muito do sucesso da Jaguatibaia se dá através de importantes parcerias com entidades de pesquisa como a PUC-Campinas, Unicamp e mesmo com a Embrapa Meio Ambiente.
“Por isso eu sempre digo que é um orgulho, conseguir desde a primeira edição, lá 1997, fazer o evento com o apoio dos parceiros, e cumprir nosso papel de levar informação simples, direta e objetiva sobre as questões ambientais no dia-a-dia das pessoas especialmente, mas com o foco na APA Campinas.
O evento
As mudas de espécies nativas que serão distribuídas foram produzidas no Viveiro da Jaguatibaia, que em 2017 foi transferido da região da APA de Campinas para a área da Embrapa Meio Ambiente, em Jaguariúna. Este trabalho, iniciado em 2008, teve como principal consequência o plantio de mais de 260 mil mudas nativas.
“Os plantios foram viabilizados através de parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica. Nós procuramos produtores rurais da região e oferecemos a implantação dos trabalhos de restauração florestal, para plantio e manutenção dessas áreas”.
Como contribuição técnica, o Reviva o Rio Atibaia ainda irá apresentar os primeiros resultados dos trabalhos em Agroecologia em andamento na APA Campinas que passará a ser denominada de APA Agroecológica de Campinas, a partir da decisão na Conferência Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional, realizada em 18 de outubro deste ano.
E a ONG Jaguatibaia divulgará os resultados preliminares do Projeto “Conhecendo as águas da APA”, desenvolvido há 28 meses em parceria com a Unicamp – FEA/DRH com participação da Embrapa Meio Ambiente.
Professores de diversos cursos da PUC-Campinas participarão com apresentações de trabalhos (maquetes e oficinas) desenvolvidos por alunos em seus cursos de formação. Haverá também a participação inédita do Instituto Federal de São Paulo (IFSP/Jundiái), com uma maquete de realidade aumentada.
SAIBA MAIS
O Movimento Reviva o Rio Atibaia é realizado desde sua primeira edição em parceria com a MSD, que tem sua fábrica em Sousas desde 1958. A empresa que orienta a condução de seus negócios de forma a proteger o meio ambiente e garantir a segurança e a saúde trará este ano uma exposição demonstrando como a indústria, por meio de soluções tecnológicas e atuação consistente, consegue a harmonia entre o seu negócio e o meio ambiente.
O Reviva o Rio Atibaia conta com o apoio da Prefeitura de Campinas, da Subprefeitura de Sousas e do jornal Correio Popular.
SERVIÇO
Reviva o Rio Atibaia 2019
Data: 10 de novembro.
Horário: das 9h às 13h.
Local: Praça Beira Rio – R. Monsenhor Dr. Emílio José Salim, Sousas.
Entrada: Gratuita
CONFIRA AS ATIVIDADES
BARQUEATA:
Integrantes da associação de Remo de Sousas realizarão uma limpeza simbólica do Rio Atibaia. O lixo encontrado será exposto na praça, com informações sobre o tempo de decomposição, para conscientizar os participantes e estimular a preservação do rio.
DISTRIBUIÇÃO DE MUDAS:
Produzidas no Viveiro Jaguatibaia, de frutíferas nativas da Mata Atlântica, o Bioma original da região, serão distribuídas com orientações sobre o plantio e suas características.
MAQUETE DINÂMICA:
Instrumento pedagógico, desenvolvido pela Jaguatibaia, que revela de forma simples e objetiva a importância da cobertura florestal na preservação dos corpos d’água, na manutenção da disponibilidade hídrica e na conservação da biodiversidade.
GERAÇÃO FUTURA DÁ O RECADO:
Apresentação de trabalhos com foco em sustentabilidade de escolas da região.
ÁRVORE DO SABER:
Espaço dedicado à leitura de livros infantis em família.
ESPAÇO SAÚDE E QUALIDADE DE VIDA:
Exames gratuitos avaliando a taxa de glicemia (que identifica a tendência ao diabetes) pressão arterial e análise do IMC — Índice de Massa Corpórea. Após os resultados, os participantes serão orientados sobre as atitudes essenciais para uma vida saudável.
EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA
OLHARES SOBRE A APA:
Coletânea de imagens de fotógrafos sobre o Rio Atibaia e o patrimônio ambiental, histórico, cultural e arquitetônico da APA, além de reportagens dos principais jornais da cidade.
CIRCUITO AMBIENTAL:
Prática de plantio em vaso de cerâmica que poderá ser customizado no local pelos participantes.
BOAS PRÁTICAS:
A MSD apresentará uma exposição institucional com sobre os projetos de responsabilidade social e práticas de gestão ambiental da fábrica em Sousas, instalada às margens do rio Atibaia desde 1958 e considerada um modelo de convivência harmônica e de respeito com o meio ambiente.
ARTE E CIÊNCIA NA PRAÇA:
Espaço dedicado às crianças com jogos e brincadeiras, pintura de rosto, escultura de bexigas, desenho, pintura, distribuição de mudas de espécies nativas e experiências científicas com água.
MASCOTES DO REVIVA:
Peixoto, e seu fiel companheiro, Cascudinho, prometem agitar a garotada com suas performances.
OUTRAS ATRAÇÕES NA PRAÇA.
Maquetes criadas para demonstração também estarão em exposição na Praça Beira Rio no domingo, dessa forma a comunidade irá conhecer:
Maquete de uma casa sustentável – alunos da PUC;
Maquete Eletrônica com areia e modelagem manual – IFSP;
Maquete sobre recarga dos lençóis freáticos e preservação da mata Ciliar, criada pela Jaguatibaia;
Maquete sobre Estação de Tratamento de Água – ETA


http://www.agemcamp.sp.gov.br/wp-content/plugins/wp-accessibility/toolbar/css/a11y-contrast.css