UBS amplia rede de saúde regional

Imprimir   |   Enviar por e-mail

O acesso e a qualidade do atendimento da rede pública de saúde da Região Metropolitana de Campinas (RMC), serão ampliados entre junho e outubro, com a entrega de 31 novas clínicas do tipo Unidade Básica de Saúde (UBS). As obras fazem parte do programa Saúde em Ação, fruto de uma parceria inédita entre a Secretaria de Estado da Saúde com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Ao todo, o governo do Estado de São Paulo prevê a construção e reforma de 166 serviços de saúde em cinco regiões paulistas, sendo 76 obras somente na RMC. Ao todo, R$ 826 milhões (US$ 217,4 milhões) serão investidos por meio do programa Saúde em Ação, sendo que 70% dos valores são provenientes do BID e outros 30% do tesouro estadual.

Maior cidade da região com população estimada em 1.182.429 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Campinas possui atualmente 63 centros de saúde. Dentre os 15 municípios contemplados na projeção do Governo do Estado, é a cidade que receberá o maior número de unidades (6). Com cinco unidades, Itatiba aparece em segundo lugar seguida por Sumaré (3). Já Cosmpópolis, Jaguariúna, Monte Mor, Paulínia e Santa Bárbara D’oeste serão beneficiadas com duas novas unidades, enquanto Artur Nogueira, Holambra, Indaiatuba, Morungaba, Nova Odessa, Pedreira e Vinhedo serão favorecidas com uma.

Ao todo, serão investidos R$ 104 milhões (US$ 27,4 milhões) em Campinas, pelo programa Saúde em Ação, possibilitando a construção de 13 novas unidades de saúde em Campinas. Em maio, foi entregue o Centro de Saúde Santos Dumont. Já os do Satélite Íris I e Perseu Leite de Barros estão em fase final e devem ficar à disposição da população em breve. Já foram iniciadas as obras das unidades do Boa Vista, DIC VI, Esmeraldina, Florence, Nova América e Satélite Íris II, além do Ambulatório Médico de Especialidades e do Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), ambos no Parque Itália.

Além disso, ainda estão previstas as construções dos centros de saúde do Bassoli e São Cristóvão e a reforma de nove unidades (Aeroporto, Castelo Branco, Conceição, Costa e Silva, Ipaussurama, Floresta, São José, São Quirino e CAPS Castelo Branco). Outra obra viabilizada pelo programa é a reforma da sede da Diretoria Regional de Saúde (DRS) de Campinas, estimada em R$ 17,3 milhões (US$ 4,6 milhões).



http://www.agemcamp.sp.gov.br/wp-content/plugins/wp-accessibility/toolbar/css/a11y-contrast.css